Homofobia Basta!

“Tratar um homossexual para que o deixe de ser é o mesmo que tratar alguém por ser alto ou baixo.”

Posted on: 15 de julho de 2011

Esta é a afirmação da Psiquiatra Graça Cardoso de Portugal.

 “homossexualidade primária com cunho biológico marcado e homossexualidade secundária para justificar a intervenção médica em homossexuais” é o que sustentava o presidente até ano passado da Ordem dos Médicos de Portugal ( a qual o deputado estadual do RJ, Pr. Édino Fonseca, usou como justificativa para dizer que a homossexualidade era uma doença ), porém ele não citou que esta ideia foi extirpada da Ordem dos Médicos de Portugal em 2010 devido a reclamação de milhares de Psiquiatras portugueses por serem contra a realidade, por não ter evidência científica e por violar os direitos humanos. 

Quem decidiu fazer isso foi o Psiquiatra Daniel Sampaio que explicou: “O que nós [signatários] queremos é que não se fale em homossexualidade primária e secundária. Há homossexuais que precisam de acompanhamento, não devido à sua orientação sexual, mas sim de problemas que possam surgir desse fato”. O Psiquiatra explica: “o sofrimento psicológico de muitas pessoas LGBT, considerando que não é resultante dos seus comportamentos, afetos ou identidades, antes é determinado por um contexto social marcado pela homofobia que se revela discriminatório”.

A Ideia de reversão sexual é extremamente desprovida de reais fatos, A Psiquiatra Graça Cardoso diz:  “Não se pode fazer nada. A homossexualidade não é uma escolha. Tratar um homossexual para que o deixe de ser é o mesmo que tratar alguém por ser alto ou baixo.” Para esta médica é essencial ajudar a pessoa “a viver com essa situação”, para tentar evitar depressão que, em casos extremos, pode levar ao suicídio.

A petição com milhares de assinaturas foi enviado ao Colegiado de Psiquiatria que aprovou o texto com parecer técnico e exclamou: 

“É generalizado o consenso entre os médicos psiquiatras de que não existe qualquer tratamento para a homossexualidade, pois esta designação não se refere a uma doença mas sim a uma variante do comportamento sexual”.

Por isso, “considerar a possibilidade de um tratamento da homossexualidade implicaria, nos tempos atuais, a violação de normas constitucionais e de direitos humanos“, advoga o parecer.”

Deste Maio de 2010 psiquiatras estão proibidos por regimento interno de “propagar cura a homossexualidade”, assim como os psicólogos. A sustentação para isso deriva do parecer da Associação Americana de Psiquiatria: “a homossexualidade em si não implica qualquer prejuízo no julgamento, estabilidade, confiabilidade ou capacidades gerais sociais e vocacionais.” seguida da aprovação unanime da resolução que declara em seu conteúdo: “Não há provas científicas que demonstrem que as terapias de reversão ou cura são eficazes na modificação da orientação sexual de uma pessoa. Há contudo, provas de que este tipo de terapia pode ter resultados destrutivos.”

A APA também aprovou a resolução por voto unanime  uma declaração de posição contra qualquer tipo de tratamento psiquiátrico do tipo terapias “reparativas” ou de “conversão” com o objectivo de mudar a orientação sexual de homossexual para heterossexual.

Em 1990 a Organização Mundial de Saúde decretou que a homossexualidade não é uma doença e não deve ser tratada como tal.

Em consenso com a opinião da Ordem dos Médicos de Portugal o Psicanalista brasileiro Eduardo Losic que a  “proposta lembra a eugenia dos nazistas e dos fascistas e estas técnicas de tratamento que consideram a homossexualidade coisa do demônio só podem ser diabólicas”.

A Tentativa de “reparar”, “converter”, “reverter”, “re-orientar”, é falaciosa, mentirosa, desprovida de conhecimento técnico, apenas tem dispositivo religioso! Aplicar tais “terapias” é uma violação contra o Código de Ética interno dos terapeutas e um atentado aos direitos humanos porquê tal terapia é considerada como uma tortura que pode levar ao suicídio por Psicólogos, Psiquiatras e Psicanalistas.

Fiquem atentos a proposta do Deputado João Cunha ( PSDB – GO ) que quer que psicólogos cristãos comecem a praticar tais “terapias”, leiam a “Carta aberta ao Deputado João Campos”

Fontes:

http://www.dn.pt

http://www.apa.org/

http://www.psych.org/

 

 

 

1 Response to "“Tratar um homossexual para que o deixe de ser é o mesmo que tratar alguém por ser alto ou baixo.”"

não sei o que comentar…
só de te lembrar q vc realmente não comenta no meu blog
rá.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Autor

Ativista dos Direitos Humanos (Principalmente LGBTs ); Teólogo;Homeopata; Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana, Filosofia, Sociologia;Blogueiro.

Este Blog é protegido por direitos autorais

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 69 outros seguidores

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

homofobia-basta@live.com

Me adicione no FacebooK

Curta a comunidade do Blog no Facebook, Clique na Imagem!

Me adicione no Orkut

Me siga no Twitter

Homofobia Basta!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Quer ajudar o Blog? Faça sua Doação!

Portal Colaborativo Teia Livre

Igreja Progressista de Cristo

Parceiros de causa

Se você realmente ama seus amigos, defenda-os da Homofobia!

Contradições no discurso do Senador Magno Malta

Vítimas da Homofobia

Mais fotos

Estatísticas do Blog

  • 438,192 Pessoas viram esse Blog
%d blogueiros gostam disto: