Homofobia Basta!

Ministro da Saúde indiano disse que suas afirmações sobre homossexualidade foram “deformadas” #DireitosHumanos

Posted on: 6 de julho de 2011

O ministro indiano da Saúde se defendeu nesta terça-feira depois de ter definido a homossexualidade como uma doença, afirmando que suas afirmações foram “totalmente deformadas”.

“Como ministro da Saúde, sei que homens fazendo sexo com homens não é uma doença”, declarou Ghulam Nabi Azad durante uma entrevista coletiva à imprensa concedida após uma onda de protestos suscitada por suas afirmações feitas na véspera, que foram “totalmente deformadas”, segundo ele.

O ministro indiano virou alvo de uma série de críticas por comentários controvertidos sobre o fato de considerar a homossexualidade uma doença e que a Aids teria sido levada para a Índia por estrangeiros.

“Quando falei doença, eu me referi ao vírus da Aids, e não à homossexualidade”, indicou o ministro, de quem a comunidade homossexual exigiu um pedido de desculpas imediato.

Azad participou na segunda-feira de uma conferência nacional sobre a Aids em Nova Délhi quando declarou que “as relações sexuais entre homens são anormais e ruins para a Índia”, segundo uma tradução de seu discurso, originalmente feito em hindi.

“É uma doença vinda de outros países. Mesmo que não seja natural, isso existe em nosso país e se propaga muito rápido, o que a torna difícil de ser detectada”, segundo essa tradução.

Esses comentários desencadearam a ira de movimentos indianos de defesa dos direitos dos homossexuais que, após uma longa batalha, conseguiram em 2009 a descriminalização das relações homossexuais. O homossexualismo era considerado crime pela legislação do período colonial instaurada há cerca de 150 anos. Antes da descriminalização, comportamentos considerados homossexuais podiam fazer uma pessoa ser condenada a pagar uma multa e até ser presa.

Convidado a explicar suas próprias declarações, Azad se recusou a “não entrar na polêmica” e assegurou não ter a menor “intenção de ferir a sensibilidade de quem quer que seja na sociedade”.

Ele ressaltou que os vários casos de Aids entre os homens homossexuais é uma fonte de preocupação. “É preocupante para o ministro da Saúde que sou. Eu nutri uma preocupação com seus destinos, e não contra eles”, acrescentou.

Embora as relações homossexuais tenham sido legalizadas em 2009, o tema continua sendo um tabu para a maior parte dos indianos. Nenhuma personalidade do mundo esportivo, político ou do espetáculo declarou abertamente ser gay ou lésbica.

Fonte: Jornal do Brasil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Autor

Ativista dos Direitos Humanos (Principalmente LGBTs ); Teólogo;Homeopata; Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana, Filosofia, Sociologia;Blogueiro.

Este Blog é protegido por direitos autorais

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 69 outros seguidores

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

homofobia-basta@live.com

Me adicione no FacebooK

Curta a comunidade do Blog no Facebook, Clique na Imagem!

Me adicione no Orkut

Me siga no Twitter

Homofobia Basta!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Quer ajudar o Blog? Faça sua Doação!

Portal Colaborativo Teia Livre

Igreja Progressista de Cristo

Parceiros de causa

Se você realmente ama seus amigos, defenda-os da Homofobia!

Contradições no discurso do Senador Magno Malta

Vítimas da Homofobia

Mais fotos

Estatísticas do Blog

  • 439,351 Pessoas viram esse Blog
%d blogueiros gostam disto: