Homofobia Basta!

Carta Integrada de Repúdio ao pronunciamento da Deputada Myrian Rios

Posted on: 28 de junho de 2011

Carta de Repúdio integrada ao pronunciamento da Deputada Myrian Rios

“Calando-te sempre, darás lugar à injustiça.”
(Publílio Siro) 

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos.”
(Barão de Montesquieu) 


“O preconceito é um fardo que confunde o passado, ameaça o futuro e torna o presente inacessível.”
(Maya Angelou)

“( O Amor ) Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

(1 Coríntios 13:6)

“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos”

 (Mateus 5:6)


Vários estudantes ( inclui-se ai heterossexuais e católicos ), resolveram escrever suas notas de repúdio a respeito do pronunciamento lamentável, beirando ( ou cometendo ) o crime da Deputada Estadual Myrian Rios ( PDT-RJ ).

Antes de tudo gostaria de esclarecer a confusa mente da Deputada Myrian Rios a respeito da Homossexualidade e da Pedofilia.

– Homossexualidade é a atração física e emocional por alguém do mesmo sexo;

– Pedofilia é a atração doentia por crianças ( tanto do sexo feminino quanto do sexo masculino ), classificado como parafilia ( doença de ordem psíquica-sexual );

Sobre a homossexualidade, gostaria de deixar claro que ela não é uma opção como a senhora afirmou várias vezes, a homossexualidade é estabelecida por fatores hereditários ( Freud, 1905 ), biológicos ( Dr. Milton Diamond, orientação sexual, Universidade de Mõnoa do Hawai ), Endócrinológicos ( Dr. Jacques Balthazar da Universidade de Liège, na Bélgica ), Neurobiológicos ( Dr. Ivanka Savic, Berglund e Per Lindström Dr. do Instituto Karolinska, da Suécia, Estocolmo ) e por lógica analítica quem iria escolher uma orientação sexual diferente da maioria sabendo do preconceito que a senhora mesmo expôs?

Ela não é uma doença, não é transmissível, não é perigosa para a sociedade ( Conferir declaração da APA de 1973 ).

Homossexualidade não se aprende, não se impõe e não se induz, a homossexualidade existe desde os primórdios da humanidade e se mantém segundo especialistas ( Relatório Kinsey ) em 10% da população.

Já a Pedofilia, é uma doença, uma parafilia e não uma orientação sexual como a senhora afirmou! Cometida em maioria por heterossexuais, homens casados com mulheres, 73% dos casos de pedofilia são cometidos por heterossexuais, associar pedofilia a homossexualidade é má fé e caracteriza crime de injúria.

Já a sua Homofobia expressa é uma doença aprendida, sintomatologicamente parecida com a homossexualidade ego-distônica que é quando um homossexual não se conforma com sua condição, o problema não esta no ser homossexual e sim nas implicações que isso traz para a vida do indivíduo por fatores formados no Superego do individuo quem vem da religião, da sociedade, da filosofia e tudo praticado por outrem. A homofobia é uma das principais causadoras da homossexualidade ego-distônica, do suicídio entre homossexuais, da desenvolvimento de psicopatologias no homossexual e estes problemas agradecem a colaboração da Deputada Myrian Rios.

Como Psicanalista eu posso lhe afirmar e meus colegas que irão comentar texto abaixo confirmam também é que se existe uma coisa que a criança aprende é comportamento, e homossexualidade não é comportamento, homossexualidade é o conjunto da percepção, emoção, espiritualidade, afetividade, atração física por alguém do mesmo sexo que não se manifesta necessariamente através de comportamentos, existem homossexuais afeminados, como existem os que não são, assim também como existem heterossexuais afeminados que não são homossexuais, fatores hormonais contribuem para uma modelação na estrutura psicomotora de um indivíduo que não implica na orientação sexual, o fator hormonal da homossexualidade só é atribuído dentro do útero materno. Rebato aqui o pronunciamento errôneo de que a travestilidade é uma orientação sexual, travestilidade é identidade de gênero, porém a senhora parece não compreender a diferença e mesmo assim ousa falar de sexualidade humana, também uso o meu conhecimento baseado no CID e no DSM responsáveis pelo catalogo de doenças de origem psíquica para afirmar que a Pedofilia é uma doença e não uma orientação sexual como afirmou em tom de certeza a senhora.  Já a homofobia pode se manifestar como comportamento agressivo, verbal ou físico, no caso da senhora, verbal e a senhora tem proporcionado uma zona de conforto para a o da Homofobia dentro da sociedade brasileira, assim como a sua ignorância e informações passadas erroneamente as pessoas que lhe assistiam, assim encaro a senhora como uma pessoa perigosa para nossas crianças e nossos jovens indefesos , com base nos estudos comportamentais, afirmo que a homofobia é algo que se aprende, através do comportamento alheio, tendo maior impacto quando as informações homofóbicas vem por parte em uma sociedade aonde ainda e infelizmente as pessoas seguem uma escala de “importância” e a senhora como Deputada que se diz representante do povo tem um grau “superior” nessa infeliz escala criada pela sociedade que precisa ser desconstruída, visto isso, seu pronunciamento perante a o conhecimento da classe Psi. ( Psicanalistas, Psicólogos e Psiquiatras ) é condenável, deplorável, homofóbico, infundado, propõe a propagação do ódio a homossexuais e a desinformação sobre a sexualidade humana que já enfrenta os obstáculos do fundamentalismo religioso que quer se sobrepor a evolução científica, necessitando assim de correção pública, visto que já que se aprende a ser homofóbico, deve se mostrar as nossas crianças e adolescentes que não é certo ser homofóbico e como ferramenta temos a punição jurídica que será lhe aplicada ( ou não ) por difamação, calúnia e injúria, vejo que a ALERJ deve repudiar o seu pronunciamento e abrir um processo disciplinar contra a senhora para que nossas crianças e jovens vejam que quem pratica homofobia, pratica crime de ódio e é punido, independente de sua “escala” na sociedade. Aqui findo a minha opinião dando espaço para outros profissionais e estudantes que se mobilizaram em nota de repúdio ao seu pronunciamento.

 – Alguns educadores mandaram suas notas de repúdio, dentre elas cito duas.

Cláudia G, professora de Inglês

Manifesto a minha profunda indignação em relação às declarações da Exmª Srª Deputada Myrian Rios.É inadmissível que uma representante do povo, eleita democraticamente, incite a intolerância e evidencie um posicionamento profundamente preconceituoso como o apresentado, associando homossexuais à pedofilia.

Enquanto educadora e cidadã, defendo que para construir um país mais justo, mais igualitário e mais democrático devemos combater todo e qualquer tipo de discriminação.  Somos todos responsáveis por isto

Homossexualidade não se aprende. Homofobia sim.”

Em nota também o Professor e Estudante de Geografia ( licenciatura plena em Geografia pela Universidade do Estado da Bahia- UNEB- Campus VI ) Pablo Kehoma explica que a homofobia é algo aprendido e a orientação sexual não.

 

“A escola é um espaço de diversidade, porém não é um espaço da diversidade! Por que pode ser feita essa afirmação? Esta afirmação pode ser feita, pois na escola existem pessoas tanto jovens como adultos, meninos, meninas, homens, mulheres, heterossexuais, homossexuais, bissexuais, loiros (as), morenos (as), enfim, uma infinidade de pessoas diferentes que possuem estilos de vidas bem diferentes, ou seja, existe uma diversidade muito grande, porém apenas as pessoas com estilos de vida normatizados pela sociedade são aceitos de bom grado e respeitados. A escola deveria ser um espaço de construção de cidadania e respeito, porém às vezes, se torna palco para homofobia, abusos e preconceitos, que acabam por expulsar os estudantes, transformando a escola em um não-lugar para muitas pessoas. Esse estigma deve ser quebrado e o desenvolvimento de atividades acerca da sexualidade deve acontecer de forma que atinja os estudantes, sensibilizando-os acerca do respeito à diversidade sexual e à desconstrução socioespacial das desigualdades. Essa sensibilização poderia ser feita através de atividades que enfocassem a diferença como algo comum nos nossos dias, a cartilha que ajudaria a trabalhar essas questões nas escolas, foram vetadas e proibidas de serem distribuídas, pois acharam que elas seriam um manual que ensinaria as crianças a serem homossexuais, mostrando mais uma vez que a escola não tem caminhado para ser um instrumento de libertação social, mas um veículo de manipulação de interesses políticos. Não se aprende a ser homossexual, não é algo que se ensina, muito pelo contrário, dentro da sociedade que vivemos aprende-se a ser homofóbico, a escola quando segrega e não prepara os professores para trabalhar com a diferença sexual existente esta sim, sendo um agente para formação de cidadãos homofóbicos. Esta segregação é evidente quando, na aula de educação física, os meninos são separados das meninas em atividades diferentes, os meninos jogam futebol e as meninas baleado. Acontece na fila do lanche, meninas de um lado meninos de outro. São simples construções da idéia de gênero que afetam e desrespeitam a diversidade, tornando a escola um não-lugar da ação da diversidade, e de forma escancarada a escola vai ensinando as crianças a segregarem.

A escola precisa ser um lugar para os (as) estudantes, e para ser um lugar é preciso que haja um sentimento de pertencimento e identidade com o espaço vivido por eles (as), sendo assim a escola deve se tornar livre de preconceito seja ele sexual, de gênero, racial, étnico, social, econômico, enfim, de toda forma possível. Enfim, uma escola de todos, em que as pessoas sejam respeitadas independentemente de seu estilo de vida E para a escola se tornar livre desses preconceitos é preciso que os professores estejam cada vez mais preparados e atentos a essas diferenças, e que diante delas busquem incluir e nunca excluir.” [ Grifo meu ]

 

– A estudante de Publicidade e Propaganda pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e redatora Luane Caravante também em nota relata a sua indignação para com o discurso da deputada Myrian Rios relatando:

“Preocupam-me declarações como a que a ex-atriz, se é que podemos chamar seus trabalhos de “atuação”, e deputada estadual Myrian Rios, venham á mídia. O Brasil é um país extremamente carente de cultura e informação onde, por exemplo, parte da população  ainda pensa que todos os homossexuais são portadores do vírus HIV. Sendo assim, é prejudicial para todos deixar que essa ex-modelo de revistas eróticas saia impune por um crime claro de calúnia e difamação contra pessoas cuja homossexualidade não é em nada relacionada com o caráter, conduta e principalmente, á um grave distúrbio psiquiátrico que é a pedofilia.

É compreensível a sua preocupação como mãe para com qualquer abuso ou violência que seus filhos estejam sujeitos nas mãos de funcionários criminosos, mas isso independe de sexualidade. Babás e outros empregados são presos diariamente por agressões, tortura, assédio e violência sexual, e em sua maioria eram heterossexuais, o que desmente completamente as afirmações distorcidas, desprovidas do mínimo conhecimento de psicologia e comportamento social.

Nada proíbe um empregador de demitir por justa causa uma pessoa agiu de maneira criminosa em sua casa ou empresa, e denunciá-lo tomando as devidas medidas legais quando forem aplicáveis. Ao contrário da imagem errônea que deputados passam sobre a PLC122, ela não acoberta praticas criminosas vindas de homossexuais. A má conduta independe de sexualidade, e como todos os cidadãos são, ou pelo menos deveriam ser iguais perante a lei, os homossexuais continuam sendo enquadrados nos mesmos artigos que os heterossexuais, caso pratiquem os mesmos crimes.

Para uma bancada de religiosos dispostos a manter o domínio cultural sobre uma população desprovida de informação e vontade de buscar a mesma, declarações como a da deputada Myrian são a oportunidade de ouro para incentivar o ódio em massa, o apego a falsos valores religiosos baseados na violência e discriminação e manter seus fiéis financiadores. Enquanto isso, os mesmos roubam, aplicam impostos abusivos sobre a população, sem que essa nada faça, apenas ore e espere o próximo aumento miserável de salário para contribuir com a obra dos que sequer se recorda de ter votado um dia” . [Grifo Meu]

– Vários outros estudantes e profissionais me escreveram com a intenção de que tal impunidade não saia despercebida com um simples pedido de desculpas, com essa preocupação a estudante de letras Hailey Kaas da Uninove escreve:

“Dep. Myrian Rios

Usando seu mesmo discurso, mas mudando o grupo-alvo, seria mais aceitável?

Por ex. Você disse que tem o direito de demitir uma lésbica, e pela PEC não poderia.

E se fosse uma negra? Certamente você argumentaria que teria medo de ser roubada não é mesmo? Porque se você pode fazer uma associação arbitrária entre homossexualidade e pedofilia, porque não fazer essa mesma associação arbitrária, ambas fundadas em preconceitos?  Afinal você tem o “direito” de demitir uma negra não é? Ah, não, não tem porque racismo JÁ É crime. Mas certamente segundo sua lógica, essa lei poderia ser revogada.

Dep. Myrian Rios, seus argumentos são baseados na pura suposição que homossexuais são pessoas perigosas para crianças. 

Mas tenho certeza que o perigo está mais no seu discurso excludente do que em algum homossexual “bolinar” seus filhos.

Você quer que seus filhos namorem meninas para “perpetuar a espécie”. Nunca vai parar para pensar no que os SEUS filhos querem? Estou vendo seus filhos crescerem como pessoas preconceituosas, seguindo o exemplo da mãe.

As pessoas LGBT ‘engolem’ todos os dias a intolerância no trabalho, na escola, nas ruas, nos hospitais, nos Fóruns nos espaços públicos e privados. E você me diz que você tem o direito de não ter alguém homossexual trabalhando para você. Diga-me, Myriam, para qual espaço você sugere que as pessoas LGBTS poderiam ir se todas as pessoas pensassem como você? Você quer fazer a assepsia social das pessoas LGBTS para viver num mundo onde não precise correr o risco de contratar uma pessoa LGBT? Por que não fazer um novo holocausto?

Engraçado que, se eu demitisse alguém por ser católico ou evangélico ou de qualquer religião, já existe na lei a proteção contra discriminação religiosa. Mas não existe para LGBTS.

Os direitos só são para uns, e não para outros. Muito justa essa lógica não é?” [ Grifo meu ]

– A Respeito da sua pronuncia, vários estudantes de direito me escreveram, e aqui relato uma nota de um dos que me escreveram

Rodolfo Pinheiro Bernardo Lôbo, estudante do curso de Direito UFMT:

“O Código Penal apresenta alguns artigos específicos sobre os crimes contra a honra e infelizmente a deputada Myrian Rios em seu discurso pode ter praticado alguns desses crimes.

Já de início me defendo de argumentos de positivistas, aqueles que veem o artigo de forma bem restrita, que podem afirmar que em alguns dos artigos que apresentarei há o uso da palavra “alguém” o que, para eles, faria com que os artigos fossem utilizados apenas quando se especifica um nome. Doce ilusão.

Caluniar, artigo 138, é atribuir a alguém erroneamente algum fato ilícito. Difamar é atribuir a alguém e à sua reputação ações ofensivas. Outro crime que muitos podem perceber no discurso da deputada é a injúria, dita no art. 140 do Código Penal, como ofender a dignidade de outro.

Ao vermos o que foi dito por Myrian facilmente se percebe um discurso preconceituoso e que não leva em conta princípios constitucionais como da igualdade e da dignidade humana. Como se percebe em trechos como esse “Não sei, pode de repente partir para uma pedofilia para com os meninos […]”.

Após conhecermos esses artigos e analisarmos a fala da deputada do RJ o ordenamento jurídico brasileiro, de uma democracia, nos oferece diversas formas de manifestarmos nossa posição contrária  e já se percebe uma movimentação de ativistas e/ou  pessoas que perceberam que direitos seus foram lesados.”[ Grifo Meu ]

 

– Indignada e preocupada com a repercussão das afirmações da Deputada Myrian Rio,s Hannah Duarte estudante de Biologia da PUC – GO escreve sobre a homossexualidade e as possibilidades de “escolha” da orientação sexual.

“Dizer que a homossexualidade é uma escolha, uma opção demonstra a cada minuto a desinformação ou falta de caráter ao afirmar algo que obviamente não é verdade. Para começar, chamamos os animais da natureza de irracionais, por uma razão, eles vivem guiados por seus instintos, e há 250 espécies na natureza que apresentam comportamentos homossexuais por diversos motivos, e não tem a capacidade de escolher entre comportamento homossexual ou heterossexual, sendo de sua natureza. Mas na área humana, a  National Academy of Sciences of the USA publicou um artigo da Stockholm Brain Institute, Karolinska Institute, Department of Clinical Neuroscience, Karolinska University Hospital, que mostra que há uma similaridade entre o cérebro de uma mulher heterossexual e de um homem homossexual e o mesmo ocorrendo com o cérebro de um homem heterossexual e de uma mulher homossexual, o que influi na condição de atração e preferência sexual. No livro Handbook of Behavior Genetics” (Springer, 2009 – ISBN 978-0-387-76726-0; Cap. 19) Khytam Dawood, J. Michael Bailey e Nicholas G. Martin, escreveram um capitulo sobre genética da orientação sexual, que mostram resultados de pesquisas que indicam o caminho da orientação genética para o comportamento homossexual e heterossexual. É importante lembrar que a genética aqui não é mendeliana. Um outro texto, publicado em 2008, por Andrea Camperio Ciani no  EurekAlert! (Agência de notícias da Associação Americana para o Progresso da Ciência – AAAS) mostra que estudos indicam que a homossexualidade masculina pode ser explicada por um modelo especifico da evolução darwiniana, através de um trabalho publicado em 2004 que mostram que mulheres de linhagens maternas de homossexuais masculinos eram mais férteis que a média. O Dr. Alan Sanders junto com a comunidade Evanston Northwestern Healthcare Research Institute acreditam que não existem somente um “gene gay” e sim a interação de uma série de genes.  O Dr. Francis S. Collins  do Projeto Genoma prevê uma estimativa de 30% de herdabilidade da homossexualidade, o que pode justificar porque há menos homossexuais do que heterossexuais.

 Enquanto há muitas provas que caminham a afirmar que a homossexualidade pode ser tudo, menos uma escolha, ainda há pessoas que insistem em afirmar – sem conhecimento cientifico nenhum e na base do “achismo” – que alguém pode escolher sua sexualidade. Pois bem, todo cientista com conhecimento de causa vai lhe afirmar que isso não é possível.”

– Em âmbito teológico a qual me parece também a deputado e missionária católica ser desprovida de conhecimento aqui relato a nota de repúdio de Priscila de Oliveira Cardoso Pereira (Teóloga, mestrando em Ciências da Religião)

Repúdio à declaração de Myriam Rios sobre a PEC23

“Como cristã e teóloga, estou envergonhada com a declaração da deputada Myriam Rios, em oposição à PEC23. Ela, que se apresenta como missionária católica, mãe e representante do povo, demonstra uma postura intolerante, ignorante, desinformada e homofóbica.

Ela inicia seu discurso com uma pseudo declaração de amor e respeito, mas fere nossos ouvidos com palavras de discriminação. Porém, o que mais incomoda é sua falta de informação e as opiniões de quem não faz idéia do que está falando.

Seus posicionamentos distorcidos:

Coloca em pé de igualdade a Homossexualidade e a Pedofilia;

Afirma que a Homossexualidade é uma opção sexual e não a orientação da pessoa;

Confunde Orientação sexual com Educação sexual;

Acusa os/as homossexuais de serem incapazes de cumprir suas funções profissionais por causa de sua orientação sexual;

Afirma que todos os homossexuais são pedófilos. 

Antes de defender sua postura preconceituosa, ela deveria se preocupar em fundamentar os seus argumentos.

Além de sua ignorância sobre os assuntos citados, ela se pergunta se não vai poder despedir um funcionário quando descobrir que ele é homossexual. Será que ela não percebe que há muitos homossexuais não assumidos fazendo parte do seu dia a dia, inclusive na sua igreja? 

E ainda faz uma citação equivocada de Gênesis, defendo o namoro dos seus filhinhos com meninas para a procriação. 

Como deputada, ela deveria preocupar-se em ser bem informada e representar o povo com justiça;

Como mãe, ela precisa ensinar os seus filhos a respeitarem o próximo; 

Como Cristã e Missionária, ela precisa ensinar o amor e a tolerância, que são base dos ensinamentos de Jesus. 

Deputada Myriam Rios, eu repudio sua declaração homofóbica e ignorante.

Se informe antes de lançar argumentos sem sentido.

Não use a bíblia fora de contexto para legitimar sua fala.

Se quer ser respeitada pelas suas decisões, que elas sejam baseadas no respeito e na dignidade ao seu próximo, sem desmoralizá-lo ou desclassifica-lo.

Te faço uma pergunta: se você fosse desclassificada profissionalmente por ser heterossexual, você não ia querer a lei a seu favor?

E termino com a Bíblia (a mesma que a sua?):

“No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.” I João 4.18

“Que o Espírito Santo possa hoje (…) que caia fogo do céu” nas suas idéias! Amém”

 

 

Dentro do conjunto de manifestação, das mais plurais classes profissionais, que trabalham com o entender da formação do ser humano em todos os âmbitos (Psíquico, Espiritual e Físico ) solicito a resposta:

1 – Do Partido Democrático Trabalhista (PDT) a qual a Deputada Myrian Rios é filiada;

2- Solicito também resposta da Igreja Católica Romana, vista que a mesma é intitulada como “Deputada dos Católicos” e como cargo de Missionária que tem, sobre o pronunciamento explicitamente homofóbico, preconceituoso, desprovido de respeito e conhecimento a qual a Igreja Católica Romana tem procurado erradicar de seu meio pelos pronunciamentos e tratados ecumênicos que tem feito afim de acolher os homossexuais, assim como o reconhecimento da orientação sexual homossexual que o fez em outrora;

3 – Solicito resposta do Partido Verde a qual o Deputado Estadual Xandrinho faz parte e em tom de consentimento concordou com as declarações de teor preconceituoso da Deputada Myrian Rios.

4 – Solicito também avaliação da Secretaria Nacional de Direitos Humanos,

5 – Também da Comissão da Ética da ALERJ para instauração de processo disciplinar contra a Deputada Myrian Rios por Injúria, Difamação e Homofobia para com os Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Travestis.

6 – Solicito também que os Deputados que afirmaram seu compromisso outrora para com todos os fluminenses a fim de proteger a integridade moral dos residentes do Estado do Rio de Janeiro que se manifestem e abram pedido de processo disciplinar contra a Deputada Myrian Rios pelos motivos já citados. Lembrando que a ALERJ tem compromisso de cuidar e proteger todos os moradores do Estado do Rio de Janeiro, a qual é representada por uma diversidade de pensamentos que tem o direito de defendes seus pontos de vistas, sem discriminar ninguém, falar que homossexuais são perigosos para crianças e equipara-los a pedófilos é dissimular o ódio contra a população LGBT que já é discriminada pelo fundamentalismo social e religioso.

Atenciosamente, Felipe Resende, Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana,

Rio de Janeiro, 28 de junho de 2011

       E-mail: terapeutafeliperesende@gmail.com

14 Respostas to "Carta Integrada de Repúdio ao pronunciamento da Deputada Myrian Rios"

A Rede Juvenil do Patrimonio Mundial, ligada ao IPHAN e a UNESCO apoia a Carta de Repudio do Psicanalista Felipe Resende e se apõe a qualquer forma de preconceito e discriminação social, sendo uma Rede cujos valores são o da Igualdade, Liberdade, o Amor e o Respeito a Diversidade, seja ela qual for. Acrescentamos que os valores humanos são os fundamentos éticos e espirituais que constituem a consciência humana. São os valores que tornam a vida algo digno de ser vivido, definem princípios e propósitos valiosos e objetiva fins grandiosos. A Dep. Myrian Rios deve ser punida por seus erros e exposição pública de discriminação.

Não consegui chegar até o fim do pronunciamento da Deputada. É tanta desinformação que não dá pra escutar. Mas Deputada, se o seu funcionário molestar seu filho, a lei permite que vc o mande embora. Entenda: vc só não poderá mandar ele embora por ser homossexual. Mas se ele fizer qualquer coisa ilegal vc tem todo direito de mandá-lo embora. Pq pelo visto o problema dela é esse. Ela não entendeu o que diz a lei.

Regina, essa me parece ser a questão central: a má informação. Com base nela as pessoas construiram os seus fantasmas, todos baseados no medo, no desconhecimento. Não creio que aja com desejo consciente de prejudicar, como me parece ser mais o caso do Bolsonaro.Mas fruto das construções fantasiosas das religiões católicas.
Peço que assistam a fala da Clarissa Garotinho. Tambem vai no mesmo caminho – o do puro preconceito.
http://comerdematula.blogspot.com/2011/06/alerj-pec-23-2007-o-retrato-do.html

Eu vi com assombro o pronunciamento da Deputada Myrian Rios.

Assombro que foi num crescendo à medida em que se acumulavam e se agravavam as falácias, as injúrias, as ofensas, as calúnias CRIMINOSAS lançadas num estranho tom de muita serenidade usada por ela durante todo o seu lamentável pronunciamento.

É muito triste ver alguém defendendo tão abertamente e sem pudor a discriminação e promovendo a segregação e o ódio contra milhões de pessoas inocentes.

Ódio que custou a vida – por exemplo – de um menino de apenas 18 anos, Um menino que certamente a Sra. Deputada veria com extrema aversão e preocupação caso se aproximasse de seus filhos, pois trazia visível o estereótipo do que tanto lhe causa repulsa.

A Sra. Deputada Myrian Rios, disse várias vezes que “não descrimina ninguém”, para logo em seguida demonstrar além de qualquer dúvida possível que faz EXATAMENTE o contrário. E PIOR: diz que tem e quer ter o direito de fazê-lo. Tudo baseado em suposições altamente ofensivas e erradas.

Como já foi dito, a Sra. é um perigo para o convívio saudável em sociedade pois não tolera o diferente a quem teme, despreza e quer o direito de segregar – mesmo que entremeie seu discurso com vazias e apenas retóricas declarações de respeito para – como já disse – logo em seguida desmentir-se a si mesmo.

Eu termino e confesso não saber o que é pior: acreditar que seu discurso foi sincero – fruto da total ignorância e preconceito (HOMOFOBIA), ou se foi feito de pura má-fé querendo angariar atenções e holofotes do público em geral que há muito deixaram de focá-la.

O que mais me assusta é que os nazistas começaram assim: apenas querendo o direito de segregar judeus, ciganos, homossexuais.
Todos sabemos o fim dessa história qual foi.

sabe o que faltou ( vou escrever), alguém precisa explicar a Myrian Rios que a heterossexualidade também não é uma coisa ensinada, não é pq ela ensinou aos filhos dela q homem é feito para mulher que eles vão seguir isso, não é?

[…] Procurando no Google, você vai encontrar uma série de notícias alegando que Myrian Rios foi homofóbica no seu discurso. Existe até carta de repúdio contra a deputada (ver em https://homofobiabasta.wordpress.com/2011/06/28/carta-integrada-de-repudio-ao-pronunciamento-da-deput…). […]

Parabéns a carta de repudio as declarações da Dep. Myrian Rios. Quando assisti o video o primeiro sentimento foi de profunda revollta em ouvir tantas inverdades a respeito da sexualidade humana. Mas depois percebi que o discurso ignorante, aggressivo e difamatório da deputada ja nasce “morto” a sua desinformação desqualifica seu pronunciamento. Mas nao deixa de ser grave o fato de uma deputada vir a publico manifestar sua homofobia e preconceito e mais que isso..Cometer crime de injuria e difamação…É preciso que a versao feminina de bolsonaro seja também punida. Aguardo as respostas as perguntas que felipe cobrou . HOMOFOBIANAO.

Meu apoio a carta como estudante de filosofia da UERJ e pesquisador da mesma universidade.

isso é uma beração para o paiz é uma vergonha para o mundo o cidadão ñ poder educar seus filhos por causa de leis abusivas sera q estas unioes estão nos planos de DEUS PENSEM NO INTIMO DE VCS .

Maria, antes de mais nada “berração” deve ser algo ligado a berrar gritar…acho que você quis dizer aberração…rsrsrs
Pensando no meu íntimo cheguei a conclusão de que o céu que a Myriam Rios procura, quero distância, sabe por quê?
Uma pessoa que quer prejudicar a outra pela sua condição esta com certeza indo contra a Bíblia, já que “homessexualidade é uma minoria”, imagina quantas pessoas desempregadas teríamos se todos pensassem assim.
Promiscuidade existe em qualquer lugar, quantos casamentos heterossexuais você ja viu terminar por traição de um e de outro, quantas meninas “religiosas” ja engravidaram antes do casamento, quantos padres Pedófilos ja apareceram na mídia.
Deus nos deu o livre arbitrio (opção de escolha) e se você ler a carta acima verá que não existe opção sexual e sim imposição. Pense como você quiser, opção ou imposição, o que queremos é respeito pelas nossas decisões. Lembre de respeitar a Biblia e respeitar o livre arbítrio, pensando por este lado é preciso respeitar o ser humano acima de tudo. A falta de respeito é uma ABERRAÇÃO.

Eu apóio!!! Sou um desses advogados que luta pelo reconhecimento das uniões estáveis, em vários processos aqui em Goiânia. Obtive êxito em vários! Agora tb estou lutando pelo casamento de meus clientes.

eu endosso essa moção de repúdio e a amplio a todos os brasileiros/católicos que tem a coragem de defender tal descalabro.

senhores,
A questão é quem tem razão??
Miriam rios ou a comunidade Gay??
Nenhum senhores, simis todos agressores de idéias, uns buscando validar o que achamos correto. Porém esta mais comprovado que por mais informação que tenhamos, somos incapazes de respeita i pensamento alheio, Mirian Rios, por ferir todos preceitos eticos e sociais, nos quais fimos moldados, inde de fato acreditamos que o mundo pode ser tolerante um dia, com negros, gays, e indíos. mais e a comunidade gay que tanto busca por tolerância, nos envergonha tanto com sua postura promiscua quando nos desreipeita, nos tenta enfiar goela abaixo uma PEC com cartilhas onde devemos de fato levra nossos filhos a pensar que ser Gay ou Lesbica é legal é gostoso. Devemos ser moderados em ambos os lados somos capazes de chegar em um impasse que se perpertue a descência e a igualdade, em que possamos conviver pacificamente sem chocar, agredir, avacalhar com a sociedade.

Os proprios homofobicos são em grande parte culpados pela pseuda promiscuidade dos homossexuais..não lhes dando emprego impedindo que tenham seus direitos legalizados e depois vem falar aaaaa os homosexuais são promiscuos…querem que os homossexuais se escondam em getos na verdade se podessem queimariam todos no fogo.a deputada mirian rios foi infeliz e criminosa em suas palavras deve sim ter punição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Autor

Ativista dos Direitos Humanos (Principalmente LGBTs ); Teólogo;Homeopata; Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana, Filosofia, Sociologia;Blogueiro.

Este Blog é protegido por direitos autorais

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 69 outros seguidores

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

homofobia-basta@live.com

Me adicione no FacebooK

Curta a comunidade do Blog no Facebook, Clique na Imagem!

Me adicione no Orkut

Me siga no Twitter

Homofobia Basta!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Quer ajudar o Blog? Faça sua Doação!

Portal Colaborativo Teia Livre

Igreja Progressista de Cristo

Parceiros de causa

Se você realmente ama seus amigos, defenda-os da Homofobia!

Contradições no discurso do Senador Magno Malta

Vítimas da Homofobia

Mais fotos

Estatísticas do Blog

  • 439,351 Pessoas viram esse Blog
%d blogueiros gostam disto: