Homofobia Basta!

Se a Homossexualidade é doença a Heterossexualidade também é!

Posted on: 9 de junho de 2011

Ai ai, depois de escrever o texto: Fliess e Freud – A Revolução da Sexualidade Humana através da Bissexualidadeaqui no Blog, alguns fanáticos religiosos deram histeria coletiva e começaram a falar mal de Freud citando algumas obras dele em que ele supostamente colocou a homossexualidade como perversão ( que é catalogado como doença no DSM e no CID ) e/ou desvio de conduta então venho eu aqui, prestar meus serviços profissionais a estes aspiradores de psicanalistas  ( nem chegam a ser aspirantes de psicanalistas ), então vamos lá?

Homossexualidade e perversão

Durante muito tempo a homossexualidade foi entendida como uma perversão do ponto de vista da psicanálise, e talvez ainda hoje alguns teóricos tenham essa visão. Mas isso ainda é uma interpretação da lógica freudiana baseada na noção pênis com vagina contida nos “Três ensaios da sexualidade” – uma visão no mínio discutível. Se olharmos a própria lógica dos conceitos psicanalíticos veremos que na formação do superego reside uma diferença fundamental entre esses conceitos – a dinâmica superegoica nas perversões é muito diferente que na homossexualidade. Por sua vez, não se pode apontar uma diferença dinâmica entre a homossexualidade e a heterossexualidade no que tange ao superego. 

Freud coloca no seu artigo “A negação” que diferente do funcionamento neurótico, cujo mecanismo de defesa do ego básico é a repressão, na perversão é o mecanismo da “denegação” que a caracteriza. Ambos os mecanismos operariam na base dos Complexos de Édipo e Castração. 

Donald Meltzer no seu brilhante “Estados sexuais da mente” nos dá uma interpretação um pouco mais ampla desses mecanismos perversos e nos diz que eles agem na base do “como se”. Baseado em uma interpretação bioniana do Complexo de Édipo onde o imperativo seria a mentira, e não a questão da Castração (no caso dos meninos), ele nos fala de uma parte da personalidade que funciona “como se” a realidade não existisse. 

Isso em si não pode ser ligado a homossexualidade – não tem nem o menor sentido, a não ser se colocarmos como regra da vida o pênis com a vagina e tratarmos todo o mais como uma aberração, esquecendo um outro conceito da psicanálise – que o homem é um ser de desejos e não de instintos.

O perverso mata, “come criancinhas”, como se nada disso tivesse conseqüências danosas aos envolvidos. Não existe culpa, pois esses mecanismos agem muito antes da formação do superego. Logo, a Le i não pode ser inscrita no superego. 

Na homossexualidade ao contrário, não existe esse mecanismo. Sabe-se que existem homem e mulheres, sabe-se a diferença entre eles, sabe-se da Lei e sabe-se que o desejo é por alguém do mesmo sexo. O que muitas vezes o que existe é o contrário do que um certo credo psicanalítico propaga – como o desejo é contrário as expectativas da sociedade, se advêm um forte sentimento de culpa, as vezes de inadequação – com certeza não é fácil “sair do armário”. Esse próprio sentimento denuncia que a homossexualidade não tem nada a ver com a perversão. E é esse mesmo sentimento que coloca homossexuais e heterossexuais sobre a mesma estrutura de funcionamento superegóico. 

Portanto do ponto de vista da própria psicanálise só se pode colocar homossexualidade e perversão sobre o mesmo teto se tiver em mente que o valor absoluto seja pênis com vagina. Estruturas perversas podem estar presentes independente da orientação sexual – basta olhar os presídios e manicômios para se atestar essa obviedade.

Por Ale Esclapes

Para mais artigos e outras informações visite a Escola Paulista de Psicanálise 

O povo alienado na sexualidade alheia!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Autor

Ativista dos Direitos Humanos (Principalmente LGBTs ); Teólogo;Homeopata; Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana, Filosofia, Sociologia;Blogueiro.

Este Blog é protegido por direitos autorais

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 69 outros seguidores

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

homofobia-basta@live.com

Me adicione no FacebooK

Curta a comunidade do Blog no Facebook, Clique na Imagem!

Me adicione no Orkut

Me siga no Twitter

Homofobia Basta!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Quer ajudar o Blog? Faça sua Doação!

Portal Colaborativo Teia Livre

Igreja Progressista de Cristo

Parceiros de causa

Se você realmente ama seus amigos, defenda-os da Homofobia!

Contradições no discurso do Senador Magno Malta

Vítimas da Homofobia

Mais fotos

Estatísticas do Blog

  • 439,351 Pessoas viram esse Blog
%d blogueiros gostam disto: