Homofobia Basta!

Alguns chamam de “Psicologia Gay”, mas o certo é Psicoterapia Afirmativa!

Posted on: 9 de junho de 2011

Terapia afirmativa

Magda Belamir Consalter
Psicoterapeuta

Klecius Borges é um dos pioneiros no estudo e na aplicação da Terapia no Brasil

Klecius Borges é um dos pioneiros no estudo e na aplicação da Terapia no Brasil

De acordo com a terapia afirmativa a identidade sexual homossexual é expressão natural, espontânea e positiva da sexualidade humana, em nada inferior à identidade heterossexual. Ou seja, não é uma anomalia, um erro, um defeito, mas sim algo natural e espontâneo.

O terapeuta que opta em atender pacientes homossexuais, bissexuais ou mesmo o heterossexual deverá transmitir aos seu paciente absoluto respeito por sua sexualidade, sua cultura, seu estilo de vida, ou seja, terá a mesma postura que teria com qualquer outro paciente indiferente de sua sexualidade.
E sempre buscando compreender as variáveis da dinâmica pessoal e suas variáveis sociais, dessa forma tentando entender os preconceitos e opressões que os homossexuais são submetidos.
Ao falarmos em homossexuais devemos entender, que estamos falando de toda relação amorosa entre duas pessoas do mesmo sexo. O termo segundo Daron (2002, p.398) “se aplica tanto as relações marcadas por contatos físicos e toda forma de coito extragenital quanto às somente marcadas por sentimentos apaixonados ou ternos”.
Até os meados dos anos de 1970 a homossexualidade era vista como algo patológico, e todo homossexual era um produto de algo biopsicossexual problemático. Tudo era visto como desvio ou disfunções sexuais o que levava a crer ser patológico.
Os indivíduos eram tratados com técnicas e tratamentos para inibir o desejo homossexual. Todos esses trabalhos eram feitos, ignorando a subjetividade do indivíduo, de como cada um se relacionava afetivamente e sexualmente, ignoravam sua vida cotidiana, como se cuidavam, como cuidava da sua saúde, família e como buscavam desenvolver sua carreira profissional.
Partindo da premissa que a orientação homossexual é normal é faz parte da variação da sexualidade humana, a psicologia homossexual começou a estabelecer suas bases , para ajudar os gays, lésbicas e bissexuais afirmarem-se como pessoas e como indivíduos saudáveis que a sua opção sexual não interviria na sua personalidade como profissional, filho, amigo, enfim como pessoa humana.
O psicólogo afirmativo não vê o sujeito homossexual como um indivíduo psicologicamente diferente do sujeito heterossexual, pois ele busca uma compreensão mais profunda desse mundo em que os homossexuais vivem, ou seja suas particularidades. Suas crenças, culturas, desejos e sentimentos.
A psicoterapia afirmativa utiliza os métodos psicoterápicos tradicionais, mas que envolva uma perspectiva não tradicional.
Segundo Borges (2009, p.21) “essa abordagem considera a homofobia, e não a homossexualidade em si, como a variável patológica mais importante para o desenvolvimento de certas condições sintomáticas encontradas em homossexuais.”
E essa homofobia que o autor cita realmente pode ser vista ou seja percebida nos pacientes no consultório, em suas falas, em seus temores quanto sua orientação sexual.
O psicólogo afirmativo busca de uma forma positiva e afirmativa , enfatizar a importância da atitude não critica e de aceitação , dando cuidado e atenção ao paciente, e mostrando-lhe que a homossexualidade é uma variação normal e natural da sexualidade humana. 
Por isso o psicólogo afirmativo vê a identidade lésbica, gay e bissexual como uma expressão natural da sexualidade humana. Ou seja é uma expressão humana tão natural como a identidade heterossexual.
Sendo assim todo psicólogo que aceitar a atender o público homossexual deverá ter respeito pela orientação sexual desse, considerando esta como uma manifestação saudável e não patológica, da sexualidade humana. Buscar manter sempre a integridade pessoal do paciente, nunca identificando sua identidade a familiares ou a qualquer pessoa. 
Demonstrar respeito quanto a seus valores morais, hábitos e praticas sexuais mesmo essas sendo diferentes das do terapeuta. 
Em suma o psicólogo deverá tratar esse paciente com respeito e dedicação que ele merece, nunca esquecendo que esse é um ser humano e como tal deverá ser respeitado. Buscando dessa forma dar uma melhor qualidade de vida e dignidade ao indivíduo.

Por:  Magda Consalter, Psicóloga

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Autor

Ativista dos Direitos Humanos (Principalmente LGBTs ); Teólogo;Homeopata; Psicanalista, especialista em Sexualidade Humana, Filosofia, Sociologia;Blogueiro.

Este Blog é protegido por direitos autorais

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 69 outros seguidores

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

Psicoterapia Online

homofobia-basta@live.com

Me adicione no FacebooK

Curta a comunidade do Blog no Facebook, Clique na Imagem!

Me adicione no Orkut

Me siga no Twitter

Homofobia Basta!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Quer ajudar o Blog? Faça sua Doação!

Portal Colaborativo Teia Livre

Igreja Progressista de Cristo

Parceiros de causa

Se você realmente ama seus amigos, defenda-os da Homofobia!

Contradições no discurso do Senador Magno Malta

Vítimas da Homofobia

Mais fotos

Estatísticas do Blog

  • 438,192 Pessoas viram esse Blog
%d blogueiros gostam disto: